Inscreva-se !

Coloque seu e-mail aqui!:

Entregue por:FeedBurner/Cidadão Araçatuba

29 de jan de 2012

Em que posso ajudá-lo?





Quando falamos em serviço público, vem na mente mau atendimento, descaso, indiferença, falta de comprometimento. Não levamos em conta o fator humano, generalizamos, pois achamos que TODO funcionário público (de qualquer esfera) segue os moldes da administração pública.

Bem entendido que não trato aqui da administração como “cabeça do negócio”, da gerência melhor dizendo, mas sim da relação entidade pública com o cidadão comum.

Tenho sempre um “causo” para contar. Não sei se eles me perseguem, ou sou por demais sortudo, pois via de regra ele viram postagens.

Terça feira levei um parente ao pronto socorro local. Estava cheio de gente, afinal, tratava-se do pronto socorro central, muitas pessoas da cidade preferem dirigir-se até lá atrás de um atendimento melhor, com mais recursos.

Para mim, como visitante, o ambiente hospitalar não é nada agradável, já o paciente imagino que  tenha outra perspectiva.

É criança que chora, é facada, marmanjo que chega “quebrado”, ou “travado” e por aí vai...

Esse tem um aspecto melhor, foi recentemente reformado, equipado com TV, ventiladores, tem até uma pequena revistaria. Na minha longa espera, pois o paciente tem problemas cardíacos e nesses casos o atendimento é sempre mais demorado, uma funcionária das várias que observei na correria comum ao ambiente, chamou a minha atenção.

Ela estava ao lado de outra, mal humorada, de cara fechada, e de pouquíssimas palavras.
Ela aparentava ter uns 35 ou 38 anos, nissei, sorridente atendia a todos com um receptivo “boa noite! Pois não! Em que posso ajudá-lo!”

Dá para imaginar um funcionário público num pronto socorro entulhado de gente perguntando: “Em que posso ajudá-lo?”

Fiquei discretamente observando-a por longos minutos, até que tomei coragem e dirigi-me ao balcão de atendimento e começei a conversar com ela:

- Olá tudo bem?
-Tudo e o senhor?
-Vou bem também! Estava te observando!
-Quem eu? Porque? Ela Sorriu!
-Você é recém contratada não é?
-Ela riu e afirmou positivamente que sim, há exatos 3 meses.
-Mas, porque o senhor está me perguntando isso?
-Só pela forma como você atende às pessoas.
-Ah o senhor sabe né... As pessoas já vem doentes, com dores... não podemos ignorar isso, devemos  atendê-las bem, para que não se sintam pior e além do mais EU as atendo como gostaria de ser atendida!
 -Você está correta! Disse-lhe. Mas ainda assim poderia agir diferente, eu com certeza não a notaria, mas já o paciente que passar pelo seu atendimento com certeza lembrará de você. Bom Trabalho!
- Obrigado! Tenha uma boa noite senhor!

Terminei aí o breve diálogo, pois percebi que poderia estar atrapalhando o seu trabalho.
Voltei para onde estava, e fiquei pensando: Não são todos que pensam assim como aquela jovem senhora, e também não saberia dizer se a conduta dela mudará daqui há alguns anos quando estiver finalmente efetivada (pois está no estágio probatório), mas que bom seria se em todos os lugares que fossemos atendidos as pessoas se dispuséssem apenas a fazer aquilo para o qual são pagas. 

Atender bem, com solicitude e principalmente com interesse pelo problema do outro. Não falo de nada sentimentalóide não, nada disso! Interesse, vontade em ajudar e  principalmente a boa e velha educação.

Quanto já sofri com esses burocratas revoltados que escondem-se atrás do seu cargo e infestam as nossas inúmeras repartições públicas só para conseguir um mísero carimbo, um visto. Quantos “bom dia” e “boa tarde” sem resposta...

Não pensem que sou muito delicado ou sentimental não, muito pelo contrário, mas respeito sempre tive de sobra. Aliás respeito é o mínimo que a gente espera de quem está do outro lado do balcão. Alguns desses burocratas protegem-se atrás  repugnante cartaz que infesta as repartições públicas:

 Art. 331 desacatar funcionário público...

Quem fez a diferença naquela noite? A funcionária? Ou o sistema?

Talvez quem sabe uma nova geração de profissionais realmente gabaritados e preparados estejam surgindo e integrando o quadro do funcionalismo e trazendo consigo e para dentro das instituições esse preparo. Quem sabe ainda, num futuro próximo  tudo isso seja comum e não tenhamos mais tempo para observar quem atende bem ou mal. Quem sabe...


7 comentários:

PIMENTA E POESIA (Maria Tereza) disse...

Gentileza, cordialidade e "visibilidade" como capacidade de olhar e ver o outro faltam em todas as instituições públicas e privadas, na rua, na escola, em todos os lugares. Isso só mudará a partir do momento em que o homem passar a ver o outro como um semelhante. Bela reflexão, como sempre!

Cidadão Araçatuba disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HAMILTON BRITO... disse...

Desde que o mundo é mundo sistemas perfeitos convivem com pessoas imperfeitas e vice-versa e assim será ad aeternum.Belo tewxto

Cidadão Araçatuba disse...

Você está correta Maria Tereza. No funcionalismo as pessoas tem que ter consciência disso, principalmente se levarem em consideração que cadas cidadão que a procura é um patrão em potencial. Antes disso porém, levar em consideração que tratam com pessoas e essas merecem todo o respeito e carinho.
Abração!

Cidadão Araçatuba disse...

Grande Zé! Obrigado pela presença e pelo comentário. Abração!

Yolanda Hollaender disse...

Amigo Paulo, interessante a inversão de valores... Hoje, nos surpreendemos com o bom atendimento de um funcionário público - que deveria ser modelo, pois passam por rigorosos exames de seleção e prestam serviço à população que é, de fato, a fonte pagadora de seus salários. E, do jeito que alguns profissionais da áea pública reagem, muitas vezes parece que estão prestando um grande favor ao cidadão brasileiro.
Certa vez, minha filha passou mal e precisou do pronto-atendimento municipal - fiquei incomodada com o volume de voz dos enfermeiros e atendentes, como se o lugar fosse um verdadeiro mercado de peixe.
Por outro lado, o atendimento no INSS tem melhorado bastante e vejo, de bom grado, os segurados serem muito bem atendidos pelos funcionários. No entanto, alguns médicos... Arre! Bom, quem sabe seja tema de uma próxima postagem sua!

Meu forte abraço,
Yolanda

Cidadão Araçatuba disse...

Para você ver amiga Yolanda!
A presteza educação e cordialidade assombra! rs... Mas acredito que muitos estão migrando da iniciativa provada para a pública e quem sabe essa diferença entre ambas nao seja a tônica da pública. Afinal esse status quo tem que melhorar!
Abração!

Postar um comentário

Comente, discuta, reflita, sua opinião é muito importante!.

Blogueiros unidos participam e divulgam!

Blogueiros do Brasil
Cia dos Blogueiros

Clique, conheça nossa história.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores diHITT

Seguidores

Leve o Cidadão com você!


Total de visualizações desta página.

Plágio é crime! Quer copiar? Não custa nada pedir, obrigado!

IBSN: Internet Blog Serial Number 21-08-1966-11